Chico Xavier, com 33 anos, psicografa mensagem de Emmanuel no Centro Espírita Fé, Esperança e Caridade de Uberlândia (26/05/1943)

Periódico: Correio de Uberlândia

Ano 4, n. 1179, p. 1

26 de maio de 1943

 

 

Uma mensagem de Emmanuel, psicografada pelo grande médium Francisco Xavier, em nossa cidade

O grande médium Francisco Xavier que recentemente visitou nossa cidade recebeu, entre outras mensagens no Centro Espírita Fé, Esperança e Caridade, um bonito trecho de Emmanuel e que nos apressamos a publicar para gaudio dos nossos leitores.

Mensagem de Emmanuel

O espiritismo cristão é a luz acesa dentro da noite da atualidade. E em torno de toda lâmpada, meus amigos, existem os que se beneficiam dela e aqueles que a sustentam. Não me dirijo, pois, neste momento, aos numerosos viandantes da vida que se agrupam aqui obedecendo a propósitos diversos. Cada qual terá seu objetivo, sua meta. Ninguém permanece sem programa na caminhada de esforços terrestres. Consola-nos a certeza de que nos reuniremos todos um dia, na casa sagrada de nosso pai.

Endereço, deste modo, minhas palavras despretenciosas aos que sustentam a lâmpada de nossa fé. Sim, meus queridos irmãos, a nossa tarefa é bem grande! Nosso esforço não constitui apenas o das obras do mundo em sua feição materializada. Não esqueçamos a contrução do precioso edifício das ideias. Espiritismo deve ser amor, nunca desunião, solidariedade perene, experiência elevada. Unamos nossas energias na edificação espiritual indispensável. De outro modo, conseguiríamos numerosas realizações de pedra, enormes conquistas na esfera material, sem todavia, atingir o desiderato do sublime ideal cristão.

No doloroso momento do mundo dentro do qual experimentamos grande movimento de destruição, é preciso não olvidar que a força das sombras continua desencadeada. É imprescindível que as forças da luz se arregimentem. O homem moderno é um desesperado entre os idolos que ele próprio quebrou, sem a preocupação de edificar conscientemente para o futuro. O papel do espiritismo é, de unir, restaurar, reconstituir, criando de novo, com o poder do amor.

Assistimos, vós na Terra e nós outros, no plano dos desencarnados, a penosas transformações que decidem o porvir do futuro milênio. Em todos os lugares verifica-se desesperadora subversão de valores. As igrejas de pedra, respeitabilíssimas pelas suas tradições, não satisfazem aos corações. Filosofias envenenadas sopram em todas as direções, intoxicando as inteligências.

O lar sofre ameaças dolorosas em sua sua primordial organização. A mocidade sem rumo, perverte os generosos princípios espirituais, menosprezando-os e esquecendo-os. Amarga tragédia a de vossa civilização, que parece sucumbir à fome de amor, quando os celeiros da Terra continuam fartos. As religiões, olvidando o serviço da fraternidade preferiram dominações políticas, banquetes de poder, expressões egoísticas da fantasia transitória. É nesse quadro de dor que deveis manifestar a nova fé. Entre as pedras espalhareis o fruto da paz, entre as sombras guardareis a claridade bendita para as lutas do amanhã.

Não esqueçamos, portanto, os imperativos da fraternidade cristã. Em espiritismo, não basta ser crente, é preciso ser irmão, não basta ser bom, é preciso ser profundamente bom para compreender com Jesus. Prossegui, pois, em vosso trabalho salutar, sem esquecer essas nobres verdades.

As vossas instituições contam com numerosos colaboradores nos dois planos. Dai aos vossos amigos da espiritualidade o melhor de vossas energias e eles vos trarão o melhor de suas experiências. Unamo-nos nos Evangelho, amigos meus.

E para vós, viandantes sequiosos dos caminhos do mundo, que acorrestes à nossa reunião cheios de elevadas indagações, que o Senhor vos abençõe. Somos irmãos na mesma jornada santa.

Não desprezeis a oportunidade de aprender e aperfeiçoar. Lembrai-vos que o túmulo é apenas a porta da vida. Recordai que nossos esforços comuns se identificam na mesma atividade construtiva. Nossas dores e esperanças são também irmãs. Procurai a fé, não através das sugestões exteriores, mas no altar sublime da consciência. E para todos, meus amigos, que nos reunimos aqui, sedentos da benção do senhor, que o Pai nos ajude cada vez mais a compreender-lhe a vontade Divina, afim de que possamos, um dia receber dele o título sagrado de servos para a Vida Imortal.

EMMANUEL


PARA VER O ARQUIVO ORIGINAL DIGITALIZADO CLIQUE AQUI E AQUI


NOTA DO ARQUIVO ESPÍRITA:

  1. Publicaremos em breve outras duas comunicações mediúnicas recebidas por Chico nesta sua visita à cidade de Uberlândia no ano de 1943.
  2. A imagem no início desta página é de Chico Xavier com 39 anos e não faz parte do documento original.

O ARQUIVOESPIRITA.ORG é um repositório digital de documentos relativos à história do espiritismo.  

Caso tenha algum documento antigo que tenha relação com o espiritismo, por favor entre em contato conosco pelo e-mail arquivoespirita@gmx.com , ou por nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *