Mensagem de André, o apóstolo (espírito) sobre João Batista 23/06/1896, publicada em 25/06/1898

Periódico: Religião Espírita – Ano I número 07

25 de junho de 1898

(Recebida no grupo “José” em sessão do dia 23 de junho de 1896 em homenagem ao glorioso espírito de João Batista o precursor.)

Paz seja convosco.

O fim a que me propus hoje vindo ao vosso seio, é falar-vos desse grande vulto que na Terra em sua última existência teve o nome de João. João, aquele que veio anunciar às turbas a vinda do Messias preparando-lhe o caminho.

Sabeis já porque forma foi ele anunciado, mas vou repeti-lo por uma satisfação que tenho de falar-vos de coisas de tal natureza.

Achando-se Zacarias no templo – pois era encarregado de apresentar o incenso – como um dos santos varões daquele tempo, quando, aproximando-se do altar para depor o que levava, viu junto a um ângulo do mesmo, um personagem de vestes alvas como a neve que, se dirigindo a ele falou-lhe nestes termos: “Zacarias, tivestes graça ante a face do Senhor e vossa esposa sendo estéril, há de conceber um filho que dareis o nome de João”, ao que Zacarias duvidou.

O anjo que a ele se dirigia, percebendo a dúvida no seu espírito, a repetiu acrescentando: “E porque o duvidais, ficareis mudo desde este instante até que se efetue o acabo de vos anunciar”; e o deixando surpreso, desaparece.

E desde aquele momento Zacarias emudeceu.

E o povo que se achava às portas do templo à espera que se abrissem as portas, vendo que ele se demorava, falava entre si sobre a causa que isso determinava.

E vindo Zacarias abri-lhe as portas o inquiriam e ele nada respondeu porque estava mudo.

Então diziam que ele havia perdido o espírito ou estava possesso do demônio; e após a cerimônia se retirou para sua casa, triste por haver duvidado daquele enviado.

Decorreram os tempos necessários para o desenvolvimento do feto, e quando chegou o nascimento, as pessoas parentas de Zacarias e Izabel que pressurosas correram a ver o grande acontecimento, pois Izabel se achava em idade muito avançada e era considerada estéril, vendo nascido o menino, disputavam na escolha do nome que se lhe deveria dar; foi então que Zacarias vendo realizadas as palavras do anjo, recordara-se do nome que ouvira e recuperando a fala, respondeu aos assistentes que o nome que seria dado ao menino era o de João.

Daí em diante começou o que vós todos conheceis da vida do precursor até a sua decaptação, que é caso extraordinário para aqueles que não estudam em espírito e verdade as sagradas letras do Evangelho.

Como? Dizem uns, conciliar-se a justiça de um Deus, vendo-se fatos destes? João, que diferindo dos outros homens, fora anunciado como Jesus, e os profetas escreveram dizendo: “Voz do que clama no deserto: Aparelhai o caminho para a passagem do Messias.” Este homem tão extraordinário, que vivia pelos campos alimentando-se de gafanhotos e mel silvestre, que nunca fez mal a ninguém, que teve a graça de batizar o Cristo. Como pois foi decapitado a mando de um homem tão impuro, e a instâncias de uma mulher tão vil, a Herodíades, que abandonando seu marido, fora ligar-se com seu cunhado!… E esse Deus, se existisse, porque o não salvou por esse transe?

São esses os comentários daqueles que não têm ouvidos de ouvir nem olhos de ver.

Mas, a vós outros é muito diferente: João, espírito elevado, vindo cumprir uma missão, vinha também resgatar uma falta que havia cometido quando Elias, decapitando réprobos de seus ensinamentos, e eis a razão porque a lei de Deus expressa para todos, e tendo ele delinquido, veio sofrer a pena do delito.

Por esse exemplo podeis ver vós outros a razão de vossos sofrimentos aqui na Terra. Eles são as consequências do que fizestes a outros em existências passadas. Cumpre que as suporteis com amor e resignação a exemplo de João Batista que humildemente se curvou sobre o cepo entregando a cabeça ao cutelo de Herodes Antípatro, o tetrarca da Galiléia.

Aí fico, meus filhos. Não quero abusar de vossa boa vontade nem da passividade do aparelho que me serve neste momento. Eu voltarei se tiver ocasião de vos encontrar no estado em que vos achai hoje, dar-vos mais alguma coisa.

Que Deus vos abençõe e que João Batista vos cubra com seu manto.

Fica na Paz do Senhor.

André (o apóstolo)



PARA VER O DOCUMENTO ORIGINAL DIGITALIZADO CLIQUE AQUI.


NOTA DO ARQUIVO ESPÍRITA: A imagem no início desta página é meramente ilustrativa e não faz parte do documento original.


O ARQUIVOESPIRITA.ORG é um repositório digital de documentos relativos à história do espiritismo.  

Caso tenha algum documento que possa ser escaneado e disponibilizado no site, por favor entre em contato conosco pelo e-mail arquivoespirita@gmx.com 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *