Mensagem de Luiz Gama (espírito) sobre a verdadeira liberdade, 13/05/1893, publicada em 25/06/1898.

Periódico: Religião Espírita – Ano I número 07

25 de junho de 1898

Comunicações 

Recebida no grupo religioso “Os filhos de Madalena” em sessão do dia 13 de maio de 1893.

Meus irmãos,

Paz. Glória a Jesus, o primeiro propugnador da liberdade!

A data de hoje representa para este povo uma data gloriosa, porque é um marco de elevação a que chegou, reconhecendo todos os homens como seus iguais sem distinção de cores.

Entretanto, quão longe estão ainda da verdadeira compreensão do que é a Liberdade. O homem vive ainda neste planeta imerso em densa escuridão, e, de seus pulsos pendem feros grilhões; pois que não há maior cativeiro do que o das imperfeições; não há maior liberdade do que aquela que eleva o homem acima do lodo social que se chama política, vaidade, orgulho, avareza, ambição, ódio, inveja e todas as paixões suas iguais.

Quando a humanidade puder libertar-se de uma vez para sempre de todas essas coisas, então reinará a verdadeira liberdade, e os homens não se lembrarão de construir mais fortalezas, nem instrumentos de destruição.

Todos trabalharão para um único fim – o Progresso – que se resume nestas tão simples quão sublimes palavras: amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

Ah, pobre humanidade! Quando chegará o dia de entoardes um hino uníssono, que repercutindo no éter vá aos pés de Deus bendizer o seu Nome e o nome daquele que plantou primeiro sobre a Terra a árvore frondosa da Liberdade?!

Porque, o que foi essa liberdade entre vós? Um simulacro de liberdade!

Porque, se tirastes as algemas dos pulsos de vossos irmãos, foi para os amesquinhar cada vez mais com o vossa sarcasmo lembrando-lhes o que foram.

Foi para cuspir-lhes nas faces as fezes de vosso ódio à sua raça dizendo: “Fostes um escravo”, quando Deus não colocou sobre a Terra um só de seus filhos escravizado.

O homem se escraviza por si mesmo às suas paixões e a elas se vê sujeito até o dia em que esforça-se por libertar-se porque a Liberdade está em suas mãos.

Buscai por toda a parte a Liberdade e não a encontrareis, porque ela não existe sobre a Terra. Aqueles que se dizem povos civilizados, são os primeiros a escravizar seus irmãos.

Vede vossos irmãos do além como praticam, como se batem contra a Liberdade. O que quer isso dizer, meus irmãos, quando tudo progride; quando vêm sobre a Terra o Consolador prometido pelo Divino Mestre, para mostrar à humanidade o caminho a seguir?!

Quando os espíritos intérpretes da vontade do Pai, vêm dizer a seus filhos: “Preparai-vos para a grande jornada, porque os tempos são chegados”?!

Ah, meus irmãos, orai e orai muito por todos os escravizados sobre a Terra e trabalhai por libertar-vos do jugo de vossas imperfeições.

Um vosso protetor e amigo,

Luiz Gama


PARA VER O DOCUMENTO ORIGINAL DIGITALIZADO CLIQUE AQUI.


NOTA DO ARQUIVO ESPÍRITA: A imagem no início desta página é meramente ilustrativa e não faz parte do documento original.


O ARQUIVOESPIRITA.ORG é um repositório digital de documentos relativos à história do espiritismo.  

Caso tenha algum documento que possa ser escaneado e disponibilizado no site, por favor entre em contato conosco pelo e-mail arquivoespirita@gmx.com 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *