A Profecia – (Espírito anônimo) 1881(?)

Periódico: União e crença – Ano I número 02, p.1-2

Areias, SP, 15 de abril de 1881


Já era tempo…

O Senado Romano depunha Parthos e o cetro saindo da tribo de Judá caia em poder de Herodes, Príncipe estrangeiro.

Realizava-se a profecia de Jacó e o Messias era esperado…

Densas trevas envolviam o mundo…

Tudo era confusão…

Tudo era um caos!…

Eis que surge a aurora bendita.

O horizonte a pouco negro deixa ver o azul do firmamento.

Os passarinhos em seus gorjeios enviam hinos ao Senhor…

Tudo é alegria…

Está cumprida a profecia.

Eis que ao mundo apresenta-se o seu Salvador.

E Maria, da Tribo de Levi é esposa de José, que teve a dita de ser a mãe do Messias.

O Salvador do mundo nasceu em uma família pobre e humilde, podendo nascer um uma família rica e ser coberto de ouro, só para mostrar-nos que os pobres e humildes são os primeiros no Reino dos Céus.

São pobres e humildes aqueles que por suas virtudes se tornam dignos e merecedores da graça de Deus.

Jesus legou-nos seus exemplos desde o berço.

Sua moral é a mais pura e a mais santa.

Ela nos faz compreender que fora da Caridade não há salvação; por isso que a Santa Lei de seu Pai é baseada nos Santos princípios do amor e caridade.

Quando Cristo fez ouvir aos homens a sua Santa palavra e os princípios de sua Santa doutrina, o mundo foi abalado…

O orgulho irritado… Os homens não compreendiam que se pudesse perdoar a seus inimigos; por isso que desconheciam os princípios do amor e caridade e, no entanto, o Regenerador da humanidade caminhava e procurava fazer compreender por meio de palavras e exemplos estas Santas palavras que os conduziriam à salvação eterna!…

Os homens cegos, por seu orgulho, não podiam compreender o que Cristo lhes ensinava.

Os sábios e os ricos o menosprezavam.

Embalde Cristo os chamava à observância da Lei de seu Pai.

A surdez e a cegueira os arrastava ao caminho da perdição.

Uns fiados no seu saber, outros em seu ouro, e outros indiferentes, não procuravam retirar a venda que lhes ocultava a felicidade eterna. Aos pobres e humildes, […] explicava sua doutrina, porém a moral Santa do Divino Mestre não podia convir a um povo cheio de vícios e de crimes.

Aquele que ousava dizer que todos os homens são irmãos; aquele que ousava dissipar as trevas e confundir os orgulhosos não devia ficar impune.

Em balde buscam um pretexto para esse homem.

Não o encontrando, inventam… Chamam-no de embusteiro, feiticeiro, blasfemo &,

A turba ergue-se contra aquele que lhe mostra o caminho da felicidade eterna.

Tudo tentam!… E até corrompem um de seus discípulos que o entrega a seus algozes, que em grande alegria do povo é conduzido às casas de Pilatos e Caifás; onde lhes acusam de intitular-se REI DOS JUDEUS.

Cristo responde a seus algozes e mostra-lhes dizendo que seu Reino não é na Terra.

Ainda com estas palavras Cristo nos ensinou que nossa morada não é nesse mundo, que devemos nos preparar para outra morada que nos espera, onde devemos, para sermos felizes, ir puros e limpos de coração.

Os homens são surdos e cegos: Nada veem, nada ouvem.

Em balde Pilatos proclama a inocência de Jesus, a nada atendem; querem somente a vítima.

Pilatos é egoísta, lava as mãos e deixa conduzir o justo ao suplício.

A turba enfurece-se… Injuriam, maltratam… Blasfemam contra aquele que a veio resgatar do pecado!… E o conduzem, pela rua da amargura, carregando enorme e pesada Cruz.

E o Cordeiro Divino carrega, sobre seus ombros, os pecados da humanidade na Cruz que seria a árvore da Redenção!…

A aflita mãe em vão busca seu filho; até que o encontrou banhado de suor e de sangue!…

Horror…

O sangue do inocente lava os pecados da humanidade.

A pobre mãe é ferida em sua [alma…] as mais agudas da dor!…

Ela acompanha seu filho ao último suplício.

Lá no monte Gólgota, [ouMoria], é na cruz pregado o filho de Deus…

O cordeiro Divino vai pagar pecados que não cometeu…

O dia é envolto em negro manto!!…

Cruzam-se os raios!!…

Rompem-se as montanhas!!…

Fende-se a terra!…

Tudo é horror!…

Cristo morreu !!!…

Está cumprida a profecia…

Passarão os séculos. Novas trevas envolve o mundo.

Os homens julgarão que mataram o Divino Mestre: enganaram-se – Cristo não morreu.

Cristo vive.

Cristo reina…

Sua sagrada palavra é ouvida.

E ai daqueles que não a quiseram ouvir!…

O espesso véu que envolvia a terra é rasgado!…

A luz divina irradia-se.

Cristo reina, Cristo fala a seus filhos.

Cristo diz:

Como outrora venho confundir os orgulhosos, venho dar luz aos cegos e ensinar-lhes o caminho que tem a seguir, porque são chegados os tempos de serem ouvidas as vozes dos Céus…

Homens irmãos: É tempo não sejais surdos à voz do Senhor!

Vinde ao Divino concerto, o Hino Sagrado é ouvido de um a outro extremo do Universo… É TEMPO!…..

Médium Távora


PARA VER O DOCUMENTO ORIGINAL DIGITALIZADO (CLIQUE AQUI)


O ARQUIVOESPIRITA.ORG é um repositório digital de documentos relativos à história do espiritismo.  

Caso tenha algum documento antigo que tenha relação com o espiritismo, por favor entre em contato conosco pelo e-mail arquivoespirita@gmx.com , ou por nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *