“A palavra de Deus não se ouve impunemente” – Maria Luiza (espírito) 21/12/1866

Periódico: O Eco d’além-Túmulo

Salvador, Bahia –  Julho de 1869, número 1 p.40


VII – Bahia, 21 de dezembro de 1866.

Maria Luiza (espírito familiar do médium), Médium E. J. C. F.

A palavra de Deus não se ouve impunemente; semelhante ao vento do deserto, queima e abrasa à todos os que a ouvem; à estes comove, assusta e intimida; àqueles, aos que se mostram dóceis, reanima, toca e comunica-lhes o calor, a luz e a vida; dissipa as manchas da alma e é um alimento saudável e bálsamo reparador para as suas feridas; e aos que estão mortos pelo pecado lhes assegura a sua ressurreição e aperfeiçoamento moral: mas, se à uns justifica, a outros condena.

MARIA LUIZA

(espírito familiar do Médium)


PARA VER O DOCUMENTO ORIGINAL DIGITALIZADO, CLIQUE AQUI


O ARQUIVOESPIRITA.ORG é um repositório digital de documentos relativos à história do espiritismo.  

Caso tenha algum documento antigo que tenha relação com o espiritismo, por favor entre em contato conosco pelo e-mail arquivoespirita@gmx.com , ou por nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *