Discurso do Sr. Levent, vice-presidente da Soc. Esp. de Paris, no funeral de Allan Kardec

Periódico: O Eco d’além-Túmulo

Salvador, Bahia – setembro de 1869, número2 , p. 68-70


Senhores,

Em nome da Sociedade Espírita de Paris, da qual tenho a honra de ser vice-presidente, venho exprimir seu pesar pela perda cruel que acaba de experimentar na pessoa de seu venerado mestra M. Allan Kardec, morto subitamente anteontem, quarta-feira, no escritório da Revista.

A vós, Senhores, que todas as sextas-feiras vos reuníeis na sede da Sociedade, eu não tenho nenhuma necessidade de recordar essa fisionomia, a um tempo, benevolente e austera, esse tato perfeito, essa justeza de apreciação, essa lógica superior e incomparável, que nos parecia inspirada.

A vós, que partilháveis todos os dias da semana os trabalhos do mestre, não vos rememorarei suas contínuas fadigas, suas correspondências com as quatro partes do mundo, que todas lhe enviavam documentos sérios, classificados longo em sua memória e preciosamente recolhidos para serem submetidos ao crisol de sua alta razão e formar, depois de um trabalho de elaboração escrupulosa, os elementos dessas preciosas obras que todos vós conheceis.

Aí se, como a nós, vos fosse dado ver essa massa de materiais acumulados no gabinete de trabalho desse infatigável pensador; se conosco tivésseis penetrado no santuário de suas meditações, vereis esses manuscritos, uns quase terminados, outros em curso de execução, outros finalmente, apenas esboçados, esparsos aqui e ali e que parecem dizer: Onde, pois, está nosso mestre, sempre tão madrugador no trabalho?

Ah! Mais do que nunca exclamaríeis também com acentos de pesar tão amargo que seriam quase ímpios: Que necessidade tinha Deus de chamar a si o homem que podia ainda fazer tanto bem; a inteligência tão cheia de seiva, o farol, enfim, que nos há tirado das trevas e nos há feito entrever esse novo mundo mui diversamente vasto, mui diversamente admirável que aquele que imortalizou o gênio de Cristovão Colombo? Mundo do qual apenas começara a fazer-nos a descrição e cujas leis fluídicas e espirituais já pressentíamos?

Tranquilizai-vos, porém, Senhores, com este pensamento tantas vezes demonstrado e tantas vezes recordado por nosso presidente: “Nada é inútil na natureza, tudo tem sua razão de ser e o que Deus faz é sempre bem-feito.”

Não imitemos a esses filhos indóceis, que não compreendendo as decisões de seu pai, têm a confiança de criticá-lo e às vezes até de censurá-lo.

Sim, tenho Senhores, a mais profunda convicção e eu vo-la exprimo em alto e bom som: – a partida do nosso caro e venerado mestre era necessária!

Não seriamos, além disso, ingratos e egoístas, se pensando unicamente no bem que ele nos fazia, esquecêssemos o direito que havia ele adquirido de repousar um pouco na pátria celeste, onde tantos amigos, tantas almas escolhidas o esperavam e vieram recebê-lo depois de uma ausência que também a eles pareceu bem longa?

Oh! Certamente há alegria, há grande festa lá em cima; e esta festa e esta alegria não tem igual, senão na tristeza e no dó que causa sua partida dentre nós, pobre degradados, cujo tempo ainda não completou-se! O mestre tinha verdadeiramente cumprido sua missão! Cumpre-nos prosseguir sua obra com o socorro dos documentos que nos deixou e daqueles, ainda mais preciosos, se cada um de nós ousar corajosamente, dar testemunho de si; se cada um de nós tiver compreendido que a luz que recebeu deve ser propagada e comunicada a seus irmãos; se cada um de nós tiver, finalmente, saudade de nosso inspirado presidente e souber compreender o plano de organização que a sua obra pôs o último selo.

Portanto, caro mestre, continuaremos teus trabalhos sob teu eflúvio beneficente e inspirador; recebe aqui a promessa formal disso: – é o melhor sinal de afeição que podemos dar-te.

Em nome da Sociedade parisiense dos estudos espiríticos, nós te dizemos não adeus, mas – até à vista; até logo!


PARA VER O DOCUMENTO ORIGINAL DIGITALIZADO, CLIQUE AQUI


O ARQUIVOESPIRITA.ORG é um repositório digital de documentos relativos à história do espiritismo.  

Caso tenha algum documento antigo que tenha relação com o espiritismo, por favor entre em contato conosco pelo e-mail arquivoespirita@gmx.com , ou por nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *